Finance Performance 23 Novembro 2018

Vida Económica: A dinâmica do imobiliário em Portugal e o seu impacto nos principais sectores de atividade

Desde a última crise, que o mercado imobiliário em Portugal tem vindo a representar uma tendência de crescimento contínuo, o que apraz os principais intervenientes deste sector, que durante algum tempo sofreram diretamente com a estagnação e desvalorização do mercado imobiliário durante o tempo da crise.

Segundo as estatísticas do INE, o parque habitacional em Portugal, na sua generalidade, mostra hoje um crescimento dos valores médios de cerca de 7,6%, tendo-se verificado uma percentagem mais elevada nos principais núcleos urbanos, Lisboa e Porto, que atingiram um crescimento de 18%.

Um dos impulsionadores da valorização do mercado imobiliário em Portugal é a euforia que se tem verificado no sector do turismo. A par deste fenómeno, temos ainda o programa dos ‘Vistos Gold’, que tem captado muitos investidores estrangeiros para o mercado imobiliário em Portugal. O facto de estarmos a assistir a um panorama económico mais saudável e a incentivos do BCE, com taxas de juros mais baixas e taxas Euribor negativas, permitiu também ao sector bancário uma certa estabilização, que se refletiu na abertura ao crédito à habitação, criando a oportunidade dos Portugueses investirem no parque habitacional.

Depois de um período em que havia casas em excesso para vender, Portugal passou a ter menos oferta e mais procura. Este fenómeno inflacionou de forma exponencial o valor das casas, sobretudo nos centros urbanos de Lisboa e do Porto. O valor por metro quadrado equipara-se às principais capitais europeias, mas não acompanha a capacidade financeira dos Portugueses em geral. Perante preços tão incomportáveis como os que se praticam atualmente no imobiliário em Portugal, os especialistas defendem que é preciso encontrar um equilíbrio para evitar chegarmos à ‘bolha’ imobiliária que tanto se fala.

Esta situação está a canalizar os grandes investidores para outras direções. Nomeadamente para mercados imobiliários mais controlados, onde os valores não estão inflacionados, e para outras tipologias de imóveis mais rentáveis e atrativas, uma vez que não é só o parque habitacional que contribui para a dinâmica do mercado imobiliário em Portugal. A fim de dinamizarem este tipo de investimentos, existe muitas vezes a necessidade de reconversão dos imóveis, criando assim a oportunidade de adaptação dos edifícios a novas realidades, que o próprio mercado exige. A revitalização do património tem-se intensificado, de forma bastante expressiva no que diz respeito a estes investimentos, alterando muitas vezes os requisitos que têm impacto na fiscalidade e que incidem sobre o património. É importante que os empresários otimizem e apliquem eventuais incentivos e benefícios fiscais, que estão disponíveis para este tipo de ações, no sentido de impulsionar os investimentos registados em Portugal, permitindo assim uma maior rentabilidade e atratividade dos investimentos feitos recentemente.

A entrada de grupos estrangeiros no mercado nacional, investindo principalmente em Edifícios emblemáticos na Área Metropolitana de Lisboa, demonstra uma tendência bastante interessante e reforça a confiança no mercado português. Exemplo disso, foram as transações que se verificaram no 1º semestre deste ano, com a venda dos principais centros comerciais do país. Com o Dolce Vita Tejo, Almada Fórum, Fórum Sintra, entre outros centros comerciais que foram transacionados, realizou-se um investimento global de cerca de 1,5 mil milhões de euros no ano de 2018, contribuindo bastante para a dinâmica do sector. A par destes investimentos, que raramente se encontram disponíveis no mercado, os edifícios de escritórios também foram alvo de interesse por parte destes grandes grupos. Até há pouco tempo, estes imóveis encontravam-se inseridos em Fundos de investimento, não estando disponíveis no mercado imobiliário em Portugal. Esta tipologia de imóveis representa assim um ativo bastante interessante para quem tenciona investir no nosso país.

Portugal tem vivido uma fase de valorização e dinâmica no sector imobiliário e existem várias oportunidades que podem ser exploradas por quem investe nestes mercados. Existe muito potencial dentro deste sector, pelo que é necessário estar atento às oportunidades, a fim de criar fontes de investimento, cada vez mais atrativas e rentáveis, para competir no mercado em Portugal.  

Autoria do artigo: Carla Quitério - Manager Property Taxes da Ayming Portugal

Consultar o artigo