Escolha o seu país
Fechar

Plano de Recuperação e Resiliência: Bioeconomia Sustentável

Página Inicial > Novidades > Notícias > Plano de Recuperação e Resiliência: Bioeconomia Sustentável
Plano de Recuperação e Resiliência: Bioeconomia Sustentável
Notícias
Setembro 15, 2021

A Bioeconomia Sustentável enquanto parte do PRR

O Plano de Recuperação e Resiliência foi organizado em 20 Componentes que integram, por sua vez, um total de 37 Reformas e de 83 Investimentos. No total, as reformas e os investimentos, absorvem 16.644 milhões de euros de financiamentos do PRR, distribuídos por 13.944 milhões de euros de subvenções (84% do total) e 2.700 milhões de empréstimos (16%).

As vinte componentes e as respetivas reformas e investimentos estão agrupadas no PRR em torno de três dimensões estruturantes: a Resiliência, a Transição Climática e a Transição Digital. Em termos gerais, está previsto que o Plano de Recuperação e Resiliência totalize um total de cerca de 14 mil milhões de euros provenientes de fundos da União Europeia através de subvenções a fundo perdido e 2,7 mil milhões de euros em empréstimos.

Relativamente à dimensão da Transição Climática, um dos destaques da Ayming Portugal vai para a Componente 12, relativa à Bioeconomia Sustentável.

Esta componente pretende desenvolver as iniciativas necessárias à alteração de paradigma para acelerar a produção de produtos de alto valor acrescentado a partir de recursos biológicos (em alternativa às matérias de base fóssil). Através de uma transição para a Bioeconomia Sustentável é possível apoiar a modernização e a consolidação da indústria por meio da criação de novas cadeias de valor e de processos industriais mais ecológicos, apresentando-se assim como uma oportunidade para toda a Europa.

A Componente da Bioeconomia conta com uma Dotação Orçamental de 145 milhões de euros, até 2025 (18M€ ainda em 2021)

Este investimento, cuja execução será da responsabilidade do Fundo Ambiental, terá como principal objetivo a incorporação de materiais de base biológica (em alternativa às matérias de base fóssil) em 3 setores de atividade económica nacional, assegurando uma maior competitividade e, permitindo, desta forma, contribuir para a transição para neutralidade carbónica de forma justa e coesa, fundamental para que sejam atingidos os objetivos ambientais e económicos, de forma sustentável.

Pretende-se desenvolver cerca de 17 linhas de investigação, desenvolvimento e inovação, contribuir para aumentar o número de adesões por ano de resineiros vigilantes (55 adesões/ano) e atribuir apoio financeiro à beneficiação 8.500 ha de povoamentos de pinheiro bravo com potencial para a resinagem.

Têxtil e Vestuário

No setor do Têxtil e Vestuário, o investimento está suportado em vários pilares de intervenção estratégicos com o objetivo de alcançar as metas propostas de uso sustentável dos recursos biológicos:

  • Da natureza: Desenvolvimento de novos processos produtivos de artigos têxteis funcionais, inovadores, a partir de matérias-primas de base biológica, incorporando biomassa florestal (celulose e lenhina) e fibras naturais alternativas provenientes do setor agroalimentar (fibras provenientes das folhas do ananás e da banana, do cânhamo, da cana do arroz, entre outros);
  • De forma circular: Melhoria da circularidade do setor, promovendo modelos de negócio inovadores baseados em reprocessamento de matérias primas biológicas, recicladas e reutilizadas. As atividades a desenvolver pretendem ir ao encontro de uma melhor gestão de resíduos contribuindo para que Portugal atinja as metas neste âmbito;
  • De forma sustentável: Dedicado à aposta no conhecimento dos processos e sistemas de produção que permitam que cada artigo possa ser reutilizado e reciclado várias vezes;
  • Para as pessoas: Dirigido à Sociedade com o objetivo de promover a sensibilização para a produção e consumo responsável ao longo de toda a cadeia de valor envolvendo os vários stakeholders, bem como o consumidor final.

Setor do Calçado

No setor do Calçado, o investimento sustenta-se em:

  • Biomateriais e componentes sustentáveis: Promover a utilização e a reciclagem de subprodutos e biorresíduos agroalimentares ou industriais, potenciando a Bioeconomia circular neutra em carbono e as simbioses industriais e regionais;
  • Calçado do futuro: Promover o desenvolvimento de novos conceitos de bio e eco produtos diferenciados e de maior valor acrescentado;
  • Gestão de resíduos e economia circular: Visa promover modelos de gestão de subprodutos e dos resíduos de produção e de calçado no fim de vida, a desclassificação de resíduos, e o desenvolvimento e produção de novos materiais e produtos que permitam a valorização dos subprodutos e resíduos e a transição do cluster do calçado e moda para a economia circular;
  • Tecnologias avançadas de produção: Dotar o cluster de tecnologias inovadoras e sustentáveis, no âmbito da digitalização i4.0;
  • Capacitação e promoção: Dirigido à sociedade com o objetivo de dotar os profissionais do setor com competências tecnológicas para desenvolvimento ou produção de biomateriais e calçado do futuro, tecnologias i4.0 ou serviços e promover no cluster inovações, baseadas em conhecimento, alavancando a sua promoção junto do consumidor quer no contexto nacional quer no contexto internacional.

Resina Natural

Já no que diz respeito à promoção e valorização da Resina Natural, pretende-se:

  • Fomento da produção de resina natural nacional: Para suportar uma verdadeira valorização do setor da resina natural, serão desenvolvidas iniciativas para aumentar a produção da resina em Portugal, para garantir níveis de autoabastecimento à indústria e também para catalisar a gestão florestal sustentável, reduzir o risco de incêndio e contribuir para o desenvolvimento do mundo rural;
  • Reforço da sustentabilidade da indústria transformadora: Dedicado ao investimento industrial e à cadeia de valor, assenta as suas ações na valorização comercial e tecnológica da resina natural produzida como um recurso social, económico e ambientalmente sustentável, incentivando cadeias de valor de transformação em bioprodutos de alto valor acrescentado;
  • Diferenciação positiva da resina natural e produtos derivados: Dirigido à comunicação e ao “marketing” para diferenciação positiva da resina natural junto do consumidor final através da criação de um “selo” ibérico e da divulgação técnica sobre toda a cadeia de valor e de um plano de comunicação e “marketing” junto do consumidor final.

A Ayming Portugal está disponível a ajudar a sua empresa a identificar o enquadramento dos seus projetos nos Fundos atualmente disponíveis, bem como na elaboração e apresentação duma respetiva candidatura a estes mecanismos.

Mostrar comentários

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *