Escolha o seu país
Fechar

Despesa com Investigação e Desenvolvimento atinge novos máximos

Ayming Portugal – Juntos na conquista dos seus objetivos > Novidades > Notícias > Despesa com Investigação e Desenvolvimento atinge novos máximos
Notícias
Janeiro 4, 2023

A despesa com atividades de I&D atingiu, em 2021, um novo máximo em Portugal, atingindo os 3.609 milhões de euros, ou seja, 1,68% do PIB nacional

Esta conclusão está presente nos resultados definitivos do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional (IPCTN), publicados no passado dia 22 de dezembro, onde se percebe que a despesa com Investigação e Desenvolvimento cresceu, em Portugal, pelo sexto ano consecutivo, com um aumento de 12% em 2021, face ao ano anterior.

Gráfico com a evolução da Despesa com Investigação e Desenvolvimento em Portugal nos últimos 5 anos

Segundo dados do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o Setor Empresarial é responsável por 2.154 milhões de euros desta despesa, ou seja, 60% do total do investimento realizado em I&D em Portugal, durante 2021. Este valor traduz-se num aumento, face a 2020, de 16,8%, sendo que é equivalente a 1% do PIB português.

Agende já o seu diagnóstico gratuito ao SIFIDE

O peso da despesa com Investigação e Desenvolvimento em percentagem do PIB

Contudo, estes valores ainda se encontram longe da meta definida pelo Governo em 2021, quando definiu um plano de convergência com a média da União Europeia. Nesse Plano, o Governo pretende duplicar a despesa nacional em atividades de Investigação e Desenvolvimento até 2030, onde estas deverão representar 3% do PIB nacional.

Evolução do peso da Despesa com Investigação e Desenvolvimento em % do PIB

O que é, no fundo, considerado como I&D?

O termo “I&D” engloba três tipologias de atividades, nomeadamente:

  • investigação básica, que consiste em trabalhos experimentais, ou teóricos, iniciados principalmente para obter novos conhecimentos, sem ter em vista qualquer aplicação ou utilização particular;
  • investigação aplicada, que consiste em trabalhos originais realizados para adquirir novos conhecimentos, dirigida a um objetivo prático específico;
  • desenvolvimento experimental, consistindo em trabalhos sistemáticos baseados nos conhecimentos existentes, dirigindo-se à produção de novos materiais, produtos ou dispositivos, à instalação de novos processos, sistemas e serviços, ou à melhoria substancial dos já existentes.

As despesas com Investigação e Desenvolvimento podem ser recuperadas?

Sim, ainda que parcialmente, através do SIFIDE.

Este Benefício Fiscal proporciona uma redução do IRC a pagar pelas empresas, tendo por base a aplicação do somatório das seguintes taxas, atento o valor correspondente às despesas de investigação afetas a I&D, na parte que não tenha sido objeto de comparticipação financeira do Estado a fundo perdido, a saber:

  • Taxa de base: 32,5% das despesas realizadas naquele período;
  • Taxa incremental: 50% do acréscimo das despesas realizadas naquele período em relação à média aritmética simples dos dois exercícios anteriores, até ao limite de 1.500.000 €.

Como recuperar despesas em atividades de I&D

A Ayming pode ajudar a sua empresa a submeter uma candidatura ao SIFIDE, referente a despesas em I&D efetuadas no ano de 2022, em 3 breves passos:

  1. Agende o seu diagnóstico gratuito, de cerca de 30 minutos, com um dos nossos especialistas;
  2. Obtenha aconselhamento e acompanhamento constante por parte da Ayming;
  3. Saiba quanto pode obter de crédito fiscal em sede de IRC.

Agende já o seu diagnóstico gratuito ao SIFIDE

Mostrar comentários

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *